sábado

revista OBSCENA # 2


O 2º número da Revista OBSCENA já está em linha e pode ser descarregado aqui
Nesta edição:

- dossier especial dedicado ao crítico Manuel João Gomes, recentemente desaparecido com depoimentos de quem lhe foi próximo, pessoal e profissionalmente;

- viagem a NOVA IORQUE com contributos de vários críticos, criadores e programadores;

- o legado do pós-colonialismo e os seus efeitos na dança brasileira;

- um ensaio do crítico francês Gérard Mayen sobre as opções na crítica de dança;

- entrevistas aos músicos Sérgio Pelágio e Ursula Rucker;

- carta branca a Vasco Araújo e críticas, notícias, opinião, reportagem


OBSCENA é uma palavra que deriva do grego ob-skene e que significa, fora de cena. A palavra reportava-se àquilo que, na tragédia, se passava fora de cena, como as mortes. Foi assim que chegou até nós o sentido de que o obsceno é aquilo que não é visto, que não deve ser visto. A Revista Obscena apropria-se da palavra em sentido duplo: é estar fora de cena, mas do lado do espectador; e é a observação da cena, ao encontro do espectáculo.