segunda-feira

O que é de um mundo a haver


Exposição de Desenho
Ricardo Guerreiro
de 1 a 16 de Abril
no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Baixa da Banheira, Moita


«Diria que descobrimos a arbitrariedade da ordem que impomos à nossa realidade. Essa partilha profunda do outro, que vemos nos trabalhos desses artistas e também nos do Ricardo, parece uma ida não à fonte da vida mas à fonte do estranho. E como estranhas são hoje as fontes... (...) Não seremos cada um de nós uma sala-de-estar desse confronto de realidades, estranhas? O outro que eu falava, era como um lugar de asociações no pensamento entre o quotidiano e aquilo que achamos que somos. (...) Ao olhar para estes trabalhos, parece-me uma coisa: existem bichos que, em momentos de apuros, fingem que estão mortos; o Ricardo parece fingir que está vivo (...) Parece que se interessa sobre a verdade crua, contraditória e agressora do seu quotidiano. A frontalidade e a sinceridade com que se expõe - porque sei que são representações de percursos autobiográficos -, impede-o de fingir que representa a verdade. A questão está aqui: ninguém finge que está vivo, a não ser que se considere morto. Então ele precisa de fingir duas vezes ao mesmo tempo, para falar na língua comum dos mortos e dos vivos: daquilo que sente e percepciona, da ficção e da verdade.
Dá-me tempo e voltemos amanhã porque o que dizes faz sentido.» Daniel Figueiredo
Ricardo Farelo Guerreiro é licenciado em Artes Plásticas pela ESTGAD (Caldas da Rainha) e tem apresentado o seu trabalho em diversas exposições colectivas. Tem desenvolvido actividade na música com o (mítico) grupo Gina e os Amigos e o (mais mítico ainda) Caveiras de Cristal, no cinema com Ninja das Caldas onde colaborou como intérprete e argumentista; e no teatro, colaborando com a Arteviva - Companhia de Teatro do Barreiro e fundando a nossa (mais-que-tudo) Vigilâmbulo Caolho
Fórum Cultural José Manuel Figueiredo Rua José Vicente, Baixa da Banheira tel: 210 888 900